quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Sonhei contigo, sonhei que me evitavas, sonhei que eu só estaria ali como um vulto do que fui.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Quando mata

Quando mata é não podes fazer nada ela te remoi, ela te atira para um poço e nada podes fazer. Quando mata te sentes impotente como se te esvaziasse de tudo o que queres ser. Quando mata ela é o teu único sentimento que consegues agarrar. Quando mata ela é a única coisa que te agarra. Quando mata podes só sonhar que ela desapareça. Quando mata ela é a tua melhor amiga. Quando mata ela é a única que te ouve. Quando a saudade mata... 

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Preciso de saber, preciso de saber que estamos mesmo acabados, preciso mesmo de saber que já não queres nada de mim. Preciso de saber que me substituiste. Que arranjaste alguém melhor, pois melhor terá que ser. Preciso de saber que foi o fim, preciso que me destrua completamente, sem deixar uma réstia de luz cá dentro. Preciso que arranques o coração e digas este já não vale a pena preciso que me tires da ideia que foste a melhor coisa que me aconteceu. Preciso que me tragas prova de que sou um objecto sem diferença para ti. Preciso que me digas que já não precisas nada de mim, preciso que me arranques tudo o que tenho cá dentro e me liberte, preciso que me tires tudo o que de bom tenho em mim para poder libertar esta raiva, preciso que me tires do sério, preciso de me zangar, preciso de me irritar, preciso que me faças ver que já foi, que chegou ao fim preciso que me deixes de amar, preciso que não pense em me sacrificar por ti. Preciso que deixes de ser minha amada, preciso que deixes de ser minha Amiga, preciso que seja minha odiada, preciso que sejas arrogante, preciso de saber que me amas, preciso de saber que voltas, preciso de saber que me queres, precisas de saber que eu volto, precisas de saber que correrei atrás de ti, precisas de saber que ficarei ao teu lado, precisas de saber que não te deixo de te amar.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Nem uma lágrima corria sobre a sua face, quase que angustiado por essa falha escondia sobre seu olhar uma tentativa de chorar. Ele que se dizia um ser emotivo tinha em si a maior parte de si escondida dos outros.
Só lágrimas caiam no seu casaco, agora fazia de tudo para esconder a sua tristeza. Ele que antes nenhuma água salgada sentia tinha embebida a sua barba em sal e em cada caminho se sentia a afastar de uma hipótese de não voltar a lacrimejar. Hoje ele chora, antes tinha apenas um choro por ansiar.

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Uma ânsia de poder saber. Saber se o retorno será o fim, saber se alguma vez apertarei esse carinho que ficou, esse amor que deixou.

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Como resolver a saudade. Uma saudade que não tem fim, que não tem como acabar, que teve que só começar. Como por fim a uma ansiedade que a cada momento se desperta e açoita cada pedaço de ar que trago.
Como terminar uma esperança, uma esperança talvez oca e sem base. Só mesmo uma esperança que ecoa, não será certamente boa.
Como fechar o dia...

domingo, 28 de janeiro de 2018

Sedução

Quis o mundo que me encontrasse de amarelo com o vermelho, desde novo que era um jogo que sonhava entrar.
Um jogo que levaria a entrar, consoante me deixavas ou não brincar. Consoante me encontrava sobre a felicidade de te olhar nos olhos ou te escondias em cara lavada pela a ansiedade.
Um jogo que se encontrava a cada sorriso teu, em cada momento que fugias, em cada momento que dançavas, em cada momento que abraçavas.
Entre as cambalhotas no meio da relva, os pulos no meio da fonte, a dormida à beira do lago lá estarei sempre caminhando pelo o jogo que foi teu e meu.